quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

O mestre e o escorpião. Não se contaminar com o mal.

Fonte da imagem:http://www.publicdomainpictures.net/view-image.php?image=44650&picture=tatuagem-scorpion-mascara

Um mestre do Oriente viu quando um escorpião estava se afogando e decidiu tirá-lo da água, mas quando o fez, o escorpião o picou. Pela reação de dor, o mestre o soltou e o animal caiu de novo na água e estava se afogando de novo. O mestre tentou tirá-lo novamente e novamente o animal o picou. Alguém que estava observando se aproximou do mestre e lhe disse:
— Desculpe-me, mas você é teimoso! Não entende que todas às vezes que tentar tirá-lo da água ele irá picá-lo?
O mestre respondeu:
— A natureza do escorpião é picar, e isto não vai mudar a minha, que é ajudar.
Então, com a ajuda de uma folha o mestre tirou o escorpião da água e salvou sua vida.

Não mude sua natureza se alguém te faz algum mal; apenas tome precauções. Alguns perseguem a felicidade, outros a criam. Preocupe-se mais com sua consciência do que com a sua reputação. Porque sua consciência é o que você é, e sua reputação é o que os outros pensam de você. E o que os outros pensam, não é problema nosso... é problema deles.

Parábola de autoria desconhecida.

domingo, 21 de janeiro de 2018


Tudo o que nos cerca tem energia e nós fazemos trocas energéticas o tempo todo, com as pessoas e com os ambientes. Nessa troca, podemos sair revitalizados ou defasados porque sempre que há uma troca energética ocorre o equilíbrio das energias. É importante termos conhecimento de como isso acontece para promovermos trocas saudáveis.
Nós captamos a energia universal,pura, e a transformamos em energia consciencial, a partir de nossos pensamentos e sentimentos.
Isso significa que tudo o que pensamos e sentimos definirá o nosso padrão energético. Cada pessoa é um composto energético único e complexo.
As trocas energéticas acontecem até mesmo à distância. Se alguém nos evoca, por exemplo, podemos perder energia. Evocações de saudade não são positivas. A saudade é a carência das energias conscienciais do outro.
Nós temos reações energéticas diferentes, dependendo das pessoas com quem nos relacionamos e dos ambientes que frequentamos. Quando você consegue dominar as próprias energias e faz uma leitura correta das pessoas e dos ambientes, tem mais facilidade para perceber como se sente em determinados locais e com certas pessoas. Assim, poderá selecionar com quem irá se relacionar e que tipo de locais deseja frequentar.
Você vai descobrir que deverá estipular um tempo máximo para ficar com algumas pessoas e em certos lugares.
Quando estiver com pessoas muito defasadas, seja assertivo e mantenha a aura bem definida para evitar a desvitalização, que é uma das causas da depressão. Quando nos aproximamos de alguém defasado energeticamente, ocorre a acoplagem áurica e entramos no padrão da pessoa. Atraímos os assédios que a acompanham e esses passam a roubar também a nossa energia.
Prestar atenção aos sinais também é um bom sinal para perceber melhor as próprias energias: cansaço, dor de cabeça, frio na barriga, sono repentino são, normalmente, sinais da presença de assédios espirituais. Porém, independentemente dos sinais, preste atenção aos seus sentimentos. Toda vez que um amparador se aproxima, você sente um enorme bem-estar.
Ter conhecimento das próprias energias, fazer trocas saudáveis, evitar bloqueios energéticos é essencial para manter um padrão energético saudável e atrair amparo espiritual. As técnicas de autodefesa energética nos ajudam a equilibrar as energias. Devemos aprender e realizar diariamente a interiorização, exteriorização e circulação de energias.
Quem possui consciência dos vários padrões de energia, sabe defender-se daqueles que são defasados. A nossa melhor defesa é o que somos.
Diariamente, avalie como são as trocas que você realiza. Observe como se você se sente no trabalho, com a família, com o seu parceiro. Procure realizar trocas saudáveis, somar
conhecimento a cada relacionamento e evoluir espiritualmente.

http://pensamentosandreluiz.altervista.org/wordpress/08/troca-energetica-a-lei-da-atracao/



domingo, 7 de janeiro de 2018

A caridade material e a caridade moral.


Fonte  da imagem:http://www.publicdomainpictures.net/view-image.php?image=16491&picture=preparando-se-para-a-primavera

“Amemo-nos uns aos outros e façamos aos outros o que quereríamos nos fizessem eles.” 

Toda a religião, toda a moral se acham encerradas nestes dois preceitos. Se fossem observados nesse mundo, todos seríeis felizes: não mais aí ódios, nem ressentimentos. Direi ainda: não mais pobreza, porquanto, do supérfluo da mesa de cada rico, muitos pobres se alimentariam e não mais veríeis, nos quarteirões sombrios onde habitei durante a minha última encarnação, pobres mulheres arrastando consigo miseráveis crianças a quem tudo faltava.
Ricos! pensai nisto um pouco. Auxiliai os infelizes o melhor que puderdes. Dai, para que Deus, um dia, vos retribua o bem que houverdes feito, para que tenhais, ao sairdes do vosso invólucro terreno, um cortejo de Espíritos agradecidos, a receber-vos no limiar de um mundo mais ditoso.
Se pudésseis saber da alegria que experimentei ao encontrar no Além aqueles a quem, na minha última existência, me fora dado servir!...
Amai, portanto, o vosso próximo; amai-o como a vós mesmos, pois já sabeis, agora, que, repelindo um desgraçado, estareis, quiçá, afastando de vós um irmão, um pai, um amigo vosso de outrora. Se assim for, de que desespero não vos sentireis presa, ao reconhecê-lo no mundo dos Espíritos!
Desejo compreendais bem o que seja a caridade moral, que todos podem praticar, que nada custa, materialmente falando, porém, que é a mais difícil de exercer-se.
A caridade moral consiste em se suportarem umas às outras as criaturas e é o que menos fazeis nesse mundo inferior, onde vos achais, por agora, encarnados. Grande mérito há, crede-me, em um homem saber calar-se, deixando fale outro mais tolo do que ele. É um gênero de caridade isso. Saber ser surdo quando uma palavra zombeteira se escapa de uma boca habituada a escarnecer; não ver o sorriso de desdém com que vos recebem pessoas que, muitas vezes erradamente, se supõem acima de vós, quando na vida espírita, a única real, estão, não raro, muito abaixo, constitui merecimento, não do ponto de vista da humildade, mas do da caridade, porquanto não dar atenção ao mau proceder de ou trem é caridade moral.
Essa caridade, no entanto, não deve obstar à outra. Tende, porém, cuidado, principalmente em não tratar com desprezo o vosso semelhante. Lembrai-vos de tudo o que já vos tenho dito: Tende presente sempre que, repelindo um pobre, talvez repilais um Espírito que vos foi caro e que, no momento, se encontra em posição inferior à vossa. Encontrei aqui um dos pobres da Terra, a quem, por felicidade, eu pudera auxiliar algumas vezes, e ao qual, a meu turno, tenho agora de implorar auxilio.
Lembrai-vos de que Jesus disse que todos somos irmãos e pensai sempre nisso, antes de repelirdes o leproso ou o mendigo. Adeus: pensai nos que sofrem e orai. – Irmã Rosália. (Paris, 1860.)

(Fonte: O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. XIII, item 9.)