sexta-feira, 27 de abril de 2018

Viver é uma arte, linda mensagem de Chico Xavier.




Quem é você? - Você está aproveitando sua encarnação?



Quem é você?

Uma mulher agonizando teve a sensação que estava sendo levada para o céu e se apresentava diante de um tribunal.
- Quem é você? Disse uma voz.
- Sou esposa do prefeito! - respondeu ela.
- Perguntei quem é você e não com quem está casada.
- Sou mãe de quatro filhos!
- Perguntei quem é você e não quantos filhos você tem.
- Sou a professora da escola.
- Perguntei quem é você e não qual a sua profissão.
E assim sucessivamente, fosse qual fosse a resposta, parecia que nunca era satisfatória para a pergunta:
- Quem é você?
- Sou uma cristã!
- Perguntei quem é você e não sua religião.
- Sou uma pessoa que ia todos os dias à igreja e ajudava aos pobres e necessitados.
- Perguntei quem é você e não o que fazia.
Evidentemente a mulher não conseguiu passar pela prova, motivo pelo qual foi enviada novamente para a Terra.
Mas, quando se recuperou da sua doença, tomou a decisão de averiguar quem era e... tudo então foi muito diferente.

(autor desconhecido)

quinta-feira, 19 de abril de 2018

Simplicidade e pureza de coração.


Bem-aventurados os que têm puro o coração, porquanto verão a Deus. (S. Mateus, cap. V, v. 8.)

Apresentaram-lhe então algumas crianças, a fim de que ele as tocasse, e, como seus discípulos afastassem com palavras ásperas os que lhas apresentavam, Jesus, vendo isso, zangou-se e lhes disse:

“Deixai que venham a mim as criancinhas e não as impeçais, porquanto o reino dos céus é para os que se lhes assemelham. — Digo-vos, em verdade, que aquele que não receber o reino de Deus como uma criança, nele não entrará.” — E, depois de as abraçar, abençoou-as, impondo-lhes as mãos. 

(S. MARCOS, cap. X, vv. 13 a 16.)

A pureza do coração é inseparável da simplicidade e da humildade. Exclui toda ideia de egoísmo e de orgulho. Por isso é que Jesus toma a infância como emblema dessa pureza, do mesmo modo que a tomou como o da humildade.
Poderia parecer menos justa essa comparação, considerando-se que o Espírito da criança pode ser muito antigo e que traz, renascendo para a vida corporal, as imperfeições de que se não tenha despojado em suas precedentes existências. Só um Espírito que houvesse chegado à perfeição nos poderia oferecer o tipo da verdadeira pureza. É exata a comparação, porém, do ponto de vista da vida presente, porquanto a criancinha, não havendo podido ainda manifestar nenhuma tendência perversa, nos apresenta a imagem da inocência e da candura. Daí o não dizer Jesus, de modo absoluto, que o reino dos céus é para elas, mas para os que se lhes assemelhem.
Pois que o Espírito da criança já viveu, por que não se mostra, desde o nascimento, tal qual é? Tudo é sábio nas obras de Deus. A criança necessita de cuidados especiais, que somente a ternura materna lhe pode dispensar, ternura que se acresce da fraqueza e da ingenuidade da criança. Para uma mãe, seu filho é sempre um anjo e assim era preciso que fosse, para lhe cativar a solicitude. Ela não houvera podido ter-lhe o mesmo devotamento, se, em vez da graça ingênua, deparasse nele, sob os traços infantis, um caráter viril e as idéias de um adulto e, ainda menos, se lhe viesse a conhecer o passado.
Aliás, faz-se necessário que a atividade do princípio inteligente seja proporcionada à fraqueza do corpo, que não poderia resistir a uma atividade muito grande do Espírito, como se verifica nos indivíduos grandemente precoces. Essa a razão por que, ao aproximar-se-lhe a encarnação, o Espírito entra em perturbação e perde pouco a pouco a consciência de si mesmo, ficando, por certo tempo, numa espécie de sono, durante o qual todas as suas faculdades permanecem em estado latente. É necessário esse estado de transição para que o Espírito tenha um novo ponto de partida e para que esqueça, em sua nova existência, tudo aquilo que a possa entravar. Sobre ele, no entanto, reage o passado. Renasce para a vida maior, mais forte, moral e intelectualmente, sustentado e secundado pela intuição que conserva da experiência adquirida.
A partir do nascimento, suas idéias tomam gradualmente impulso, à medida que os órgãos se desenvolvem, pelo que se pode dizer que, no curso dos primeiros anos, o Espírito é verdadeiramente criança, por se acharem ainda adormecidas as idéias que lhe formam o fundo do caráter. Durante o tempo em que seus instintos se conservam amodorrados, ele é mais maleável e, por isso mesmo, mais acessível às impressões capazes de lhe modificarem a natureza e de fazê-lo progredir, o que torna mais fácil a tarefa que incumbe aos pais.
O Espírito, pois, enverga temporariamente a túnica da inocência e, assim, Jesus está com a verdade, quando, sem embargo da anterioridade da alma, toma a criança por símbolo da pureza e da simplicidade.

(Fonte: O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. VIII, itens 1 a 4.)

sexta-feira, 13 de abril de 2018

Mensagem de Alfred Schutz.



Linda mensagem de Alfred Schutz sobre as vibrações deletérias que estão cobrindo o Brasil e de como você pode ajudar com suas energias benéficas.

Paz!


segunda-feira, 9 de abril de 2018

Verdades e Fantasias - Pelo Espirito: Emmanuel




“Mas, porque vos digo a verdade, não me credes.”  Jesus (JOÃO, 8: 45) 

O mundo sempre distingue ruidosamente os expositores de fantasias.  É  comum  observar-­se,  quase  em  toda  parte,  a  vitória  dos  homens  palavrosos,  que  prometem  milagres  e  maravilhas.  Esses  merecem  das  criaturas  grande  crédito.  Basta  encobrirem  a  enfermidade,  a  fraqueza,  a  ignorância  ou  o  defeito  dos  homens,  para  receberem acatamento.  Não  acontece  o mesmo aos cultivadores da verdade, por mais simples que esta seja. Através de todos os tempos,  para  esses  últimos,  a sociedade reservou  a  fogueira,  o  veneno,  a  cruz,  a  punição
implacável.  Tentando fugir à angustiosa situação espiritual que lhe é própria, inventou o  homem a  “buena ­dicha”*, impondo,  contudo, aos  adivinhadores  o  disfarce  dourado
das  realidades  negras  e  duras.  O  charlatão  mais  hábil  na  fabricação  de  mentiras  brilhantes será o senhor da clientela mais numerosa e luzida.  No  intercâmbio  com  a  esfera  invisível,  urge  que  os  novos  discípulos se  precatem contra os perigos desse jaez.  A técnica do elogio, a disposição de parecer melhor, o prurido de caminhar  à  frente  dos  outros,  a  presunção  de  converter  consciências  alheias,  são  grandes
fantasias. É necessário não crer nisso. Mais razoável é compreender que o serviço de
iluminação  é  difícil,  a  principiar  do  esforço  de regeneração  de  nós mesmos. Nem  sempre os amigos da verdade são aceitos. Geralmente são considerados fanáticos ou  mistificadores, mas… apesar de tudo, para a nossa felicidade, faz-­se preciso atender  à verdade enquanto é tempo.


Livro: Caminho, Verdade e Vida - Emmanuel